ESTUDO DE DOCKING MOLECULAR, PROPRIEDADES FÍSICO-QUÍMICAS, FARMACOCINÉTICAS E TOXICOLÓGICAS DE FLAVONOIDES IDENTIFICADOS EM Euterpe oleracea Mart. PARA O TRATAMENTO DA DOENÇA DE ALZHEIMER

MARCOS RAFAEL SILVA ALMEIDA

Resumo: O Euterpe oleracea Mart., popularmente conhecido como açaí, é rico em α-tocoferol, fibras, lipídios, polifenóis e íons minerais. Acredita-se que o alto teor de polifenóis, dentre eles os flavonoides, confere aos frutos do açaí propriedades que promovem a saúde, incluindo atividades anti-inflamatórias, imunomoduladoras, antinociceptivas e antioxidantes, as quais reduzem a formação de radicais livres ou interagem com os mesmos neutralizando-os. Os flavonoides são compostos antioxidantes, de origem vegetal, que funcionam como armadilha
para os radicais livres, oferecendo perspectivas em prevenção de danos oxidativos. O presente estudo objetivou avaliar in silico o potencial de flavonoides identificados na polpa e no óleo de Euterpe oleracea Mart como agentes antioxidantes. Primeiramente, foram selecionadas 16 moléculas presentes em E. oleracea Martius, divididas em polpa e óleo de açaí. As propriedades físico-químicas dos flavonoides foram analisadas pela regra de cinco, foram obtidas propriedades farmacocinéticas no módulo QikProp do software Schrödinger e o perfil de toxicidade usando o software DEREK; além disso, foram realizadas simulações de docking das moléculas. Entre as propriedades físico-químicas, os flavonoides catequina, epicatequina, luteolina, chrisoeriol, taxifolina, apigenina, diidrokaempferol, isovitexina e vitexina apresentaram boa biodisponibilidade oral. Nas propriedades farmacocinéticas, os flavonoides catequina, epicatequina, isovitexina, luteolina, chrisoeriol, taxifolina e isoramnetina rutinosídeo apresentaram os melhores resultados. Na predição de propriedades toxicológicas, os compostos apresentaram bons resultados, com exceção dos compostos isoramnetina rutinosídeo e rutina que apresentaram alerta quanto à mutagenicidade para o hidroxinaftaleno ou derivado. No ensaio de acoplamento, todos os compostos apresentaram interações importantes com os alvos testados. Os flavonoides catequina, chrisoeriol e taxifolina apresentaram os melhores resultados, tais evidências podem ser corroboradas com testes complementares, como métodos computacionais e experimentais.

Deixe uma resposta